FANDOM


m (Nova página: Katana forjada por Masamune (século XIV) '''Goro Nyudo Masamune''', que viveu no início do século XIV, foi considerado o maior armeiro da h...)
 
m (Adicionei a categoria "Folclore japonês")
 
Linha 13: Linha 13:
   
 
As catanas de Masamune eram consideradas nefastas a samurais sanguinários, pois eram forjadas para a paz. Se usadas para o mal, perderiam seu espírito e trairiam intencionalmente seus mestres na batalha. Dizem que o violento daimyo cristão Oda Nobunaga, que no século XVI tentou unificar o Japão, recusou-se a usar uma Masamune que lhe foi presenteada: acreditava que ela acabaria por matá-lo, por não ser digno dela.
 
As catanas de Masamune eram consideradas nefastas a samurais sanguinários, pois eram forjadas para a paz. Se usadas para o mal, perderiam seu espírito e trairiam intencionalmente seus mestres na batalha. Dizem que o violento daimyo cristão Oda Nobunaga, que no século XVI tentou unificar o Japão, recusou-se a usar uma Masamune que lhe foi presenteada: acreditava que ela acabaria por matá-lo, por não ser digno dela.
  +
[[Categoria:Folclore Japonês]]

Edição atual tal como às 05h29min de 10 de Agosto de 2019

Masamune

Katana forjada por Masamune (século XIV)

Goro Nyudo Masamune, que viveu no início do século XIV, foi considerado o maior armeiro da história do Japão.

Diz uma lenda japonesa que, certa vez, o mais rico daimyo do Japão promoveu um concurso nacional de armeiros, no qual os finalistas foram Masamune e Muramasa.

Masamune era um homem bom e honrado. Acreditava que um samurai deveria impor a paz com sua própria presença, sem precisar desembainhar a catana. Acreditava-se que suas espadas traziam serenidade ao seu possuidor.

Já Muramasa, embora também fosse um artesão consumado, era um homem violento. Suas espadas causavam muito dano e derramavam muito sangue.

As catanas dos dois mestres foram mergulhadas verticalmente em um rio para se verificar qual a mais cortante. As folhas que flutuavam para a espada de Muramasa foram belamente cortadas e as metades continuavam a flutuar sem ser perturbadas.

O vencedor foi, porém, Masamune. Sua espada era tão poderosa e afiada que possuía seu próprio ki (espírito). As folhas que flutuavam no rio se desviavam para evitá-la, pois essa espada se recusava a ferir sem necessidade.

As catanas de Masamune eram consideradas nefastas a samurais sanguinários, pois eram forjadas para a paz. Se usadas para o mal, perderiam seu espírito e trairiam intencionalmente seus mestres na batalha. Dizem que o violento daimyo cristão Oda Nobunaga, que no século XVI tentou unificar o Japão, recusou-se a usar uma Masamune que lhe foi presenteada: acreditava que ela acabaria por matá-lo, por não ser digno dela.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.